Do Marketing 1.0 ao 5.0
46391
post-template-default,single,single-post,postid-46391,single-format-standard,bridge-core-2.4.4,gdlr-core-body,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,qode-theme-ver-23.5,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.3.0,vc_responsive

Do Marketing 1.0 ao 5.0

Poderemos dividir facilmente dividir o marketing em cinco fases distintas, desde o seu início até a atualidade, estes períodos vão desde o Marketing 1.0 ao 5.0.

O Marketing 1.0 remonta ao início do marketing, começou a ser praticado desde a revolução industrial, e foi bastante popular no final da década dos anos trinta e início dos anos quarenta.

Nesta altura a oferta do produto era menor que os consumidores, e como tal havia uma centralização no produto e não no consumidor.

Este era um marketing de massa em que a opinião do consumidor não tinha importância, e na qual as empresas se limitavam a dar o produto a conhecer.

Com o crescimento do mercado e o aumento da oferta o marketing 1.0 tornou-se ineficaz, trazendo maus resultados para a imagem da marca e venda do produto.

Como forma de ultrapassar estes resultados negativos surgiu o marketing 2.0.

O Marketing 2.0 está direcionado para o consumidor, o importante deixa, portanto, de ser o produto o que se traduziu numa importância crescente do consumidor, dando inicio à ideia “O cliente tem sempre razão”.

O mesmo produto era apresentado de diferentes formas para alcançar mais pessoas e satisfazer os clientes.

Esta forma de marketing foi bastante importante na década de 80, no entanto os anos 90 trouxeram um desenvolvimento exponencial tecnológico, e cada vez mais empresas passaram a usar estas novas tecnologias para se darem a conhecer.

O Marketing 3.0 surge como uma forma de diferenciar as marcas, com um crescendo de produtos e com formas de apresentação, foi necessário perceber a que tipo de consumidor o produto estava dirigido, surgindo, portanto, a segmentação.

A segmentação obriga não só à criação de um público-alvo, mas também à criação de uma imagem para apresentar a esse mesmo público. Esta imagem vai criar uma expectativa, no consumidor, da marca e do produto/serviço.

Nesta fase é importante a opinião que o cliente tem acerca da empresa e dos seus valores.

Assim a empresa deixa de tentar agradar a todos os clientes, procurando dirigir-se um público em específico, verifica-se a perceção do cliente como um individuo único.

O Marketing 4.0 surge nos mesmo moldes que o 3.0 com a diferença enorme da introdução da internet.

O marketing 4.0 surge numa altura em que a internet está na casa da esmagadora maioria das pessoas. Nesta altura em que o fácil acesso às marcas e aos produtos em todo o mundo estão à distância de um clique, as empresas continuam a reforçar a importância da transmissão da visão da empresa, dos seus valores e qual a sua missão.

É de certa forma um Marketing 3.0 adaptado à era digital.

A ideia do Marketing 5.0 é bastante recente, sendo que a sua aplicação ainda não é generalizada.

Numa altura em que se verifica que os consumidores estão sobrecarregados de informação, torna-se cada vez mais difícil suscitar algo novo.

A este fator junta-se um crescendo interesse pelas causas sociais e ambientais, com consumidores cada vez mais preocupados com a forma como os produtos são feitos, e com as condições oferecidas aos funcionários. Mudando aos poucos a forma de atuação no mercado.

O Marketing 5.0 procura, portanto, chegar ao lado emocional do consumidor, criando uma série de sensações positivas e emotivas.

Em suma as empresas procuram transmitir uma imagem, de si, justas e preocupadas com o que se passa à sua volta. Acabando por apoiar causas sociais e ambientais, mostrando responsabilidade civil e preocupação com os demais.

Nesta fase existe uma preocupação crescente na ligação entre os consumidores e a marca, tornando os consumidores nos embaixadores da marca.

Convidamo-lo a entrar connosco no Marketing 5.0.